Diferenciais

Biotecnologia, Rastreabilidade, Monitoramento por satélite e certificações já fazem parte do cotidiano do Grupo MNS que não mede esforços para atender as necessidades de um mercado exigente, dinâmico, globalizado e em busca de um objetivo: VIDAS SAUDÁVEIS.

Programa Colheita Segura

A agricultura é uma atividade econômica de extrema importância no Brasil e no mundo, incorporando várias tecnologias ao longo do tempo, sempre com o objetivo de elevar a produtividade das culturas. Por consequência deste modelo agrícola que enfrentamos atualmente, vemos o Brasil cada vez mais dependente de insumos químicos. As preocupações com o excesso de resíduos químicos nos alimentos ganham relevância e tornam cada vez mais frequentes. Com base no relatório do Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos de Alimentos (PARA) divulgado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) no ano de 2013, o pimentão liderou a lista dos alimentos mais contaminados por agrotóxicos, 91,8 % das amostras analisadas apresentaram alguma contaminação.

 

O pimentão (Capsicum annuum L.) é uma das hortaliças de maior consumo no Brasil, principalmente pela região sudeste sendo comercializado como fruto verde, vermelho, amarelo, laranja, creme e roxo. Seu valor nutritivo, para consumo in natura deve-se, em grande parte, à presença de vitaminas, especialmente a vitamina C. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), SP e MG são os principais estados produtores e respondem por 40 % da produção nacional. 

 

Fica evidente a importância e a urgência de uma conscientização cultural que consigam acompanhar de maneira eficaz um modelo de produção integrada, trabalhando de forma consciente o consumo de insumos. É nítido que com alguns componentes críticos da cadeia produtiva do pimentão cresce a necessidade de oferecer produtos de melhor qualidade para o consumidor final, que tem exigido a produção de alimentos livres de contaminantes químicos danosos à saúde. Porem isto só é viabilizado se for empregado um modelo de produção agrícola onde o produtor esteja disposto a proteger o meio ambiente, sua saúde e do consumidor final.

 

Neste caso a MNS junto a empresa de tecnologia catarinense, PariPassu, iniciou um trabalho de desenvolvimento e fortalecimento da cadeia produtiva e de abastecimento da cultura do Pimentão (Capsicum annuum L.) em maio de 2016, no município de Pilar do Sul-SP e região. É um projeto que iniciou com a escolha de alguns produtores fornecedores do grupo MNS para uma produção mais sustentável e menos agressiva, proporcionandobenefícios ambientais, sociais e econômicos. A escolha dos produtores é sempre criteriosa, leva-se bastante em consideração à vontade pela busca de melhorias na produção agrícola de cada produtor obviamente, junto à disposição de cada um a aceitar as novas mudanças e hábitos culturais no campo, fortalecendo a colheita com a entrega de um produto diferenciado e seguro ao consumidor final.      

 

O principal objetivo do projeto é assegurar uma colheita com segurança, através do repasse aos produtores com as boas práticas agrícolas (BPA) visando um manejo consciente para a cultura, objetivando o uso preferencialmente de produtos biológicos, ou quando necessário os insumos químicos que tenham obrigatoriamente registro para a cultura em produção, atrelado sempre com técnicas que visam um controle eficiente no campo, com custo baixo e mínima contaminação ambiental, através das técnicas de tecnologia de aplicação.

 

O programa denominado de Colheita Segura (PCS) abrange algumas ações necessárias para o seu desenvolvimento e conquistas de bons resultados.

 

Ao longo do ciclo da cultura do pimentão em estufa todos os produtores são submetidas as visitas técnicas de acompanhamento pelo técnico decampo da empresa, Francisco Pezzato e o agrônomo Eduardo Sugawara que tem o encargo de fornecer um apoio

 

técnico ao grupo de produtores através de    orientações que realçam as técnicas de produção integrada para uma condução mais saudável da planta em ambiente controlado, contando com as alternativas biológicas, químicas, adubações e orientações de infraestrutura da produção. 

Sabe-se que os insumos químicos com o seu uso indiscriminado representam um risco potencial para a saúde humana, sendo assim uma das regras básicas do programa é de que todos os produtores têm seus produtos coletados e submetidos a análises de resíduos químicos, por laboratórios certificados.

 

 

Estas análises de resíduos no pimentão tem o objetivo de identificar os ingredientes ativos utilizados a campo pelos produtores a fim de detectar o tipo de manejo pelo uso e quantidade usados na cultura. A definição de resíduo químico se dá pela presença destas substâncias nas culturas, resultantes de seu mau uso. A ANVISA estabeleceu quantidadesque são consideradas seguras para a saúde do consumidor com base na ingestão diária máxima teórica (IDMT) que estima a quantidade máxima de resíduos químicos em alimentos que teoricamente um indivíduo ingere diariamente sendo aceitáveis nos alimentos que é dado pelo LMR (Limite Máximo Residual) que é a quantidade máxima de resíduo de agrotóxico aceita no alimento, em decorrência da aplicação adequada, desde sua produção até o consumo

 

Os pensamentos de dentro da porteira na agricultura vem evoluindo, no passado o produtor rural priorizava apenas a propriedade agrícola em seu negócio, hábitos que vem sendo transformados, dando-se lugar ao que conhecemos como cadeia produtiva.

 

E através da administração rural, o Programa Colheita Segura tem o foco de contribuir com o produtor para minimizar seus riscos na produção, através do controle das suas atividades, planejando seus investimentos. Pois quando se leva o assunto de inovações para o agricultor rural, ele automaticamente pensa na obtenção de maiores lucros. E a transformação da mentalidade administrativa é necessária durante a transição da propriedade rural tradicional para empresa rural, tão importante como manter o controle e obter maior transparência dos processos, proporcionando um ambiente de trabalho mais organizado em informações seguras.

 

Um bom planejamento é fundamental para executar as ações práticas e obter resultados positivos em uma produção agrícola. E com a utilização da ferramenta Caderno de Campo da PariPassu, a equipe de campo da MNS, passa a se organizar melhor, realizando as recomendações a todos os produtores de forma sistematizada, promovendo maior organização de todas as informações de produção da cultura do pimentão. Existe carência em organizar melhor a rotina agrícola destes produtores e poder visualizar de forma clara todas as informações ao longo do cultivo do pimentão, oque garante maior sucesso deste programa, que aperfeiçoa todos os recursos, proporcionando uma maior segurança nas tomadas de decisões. 

 

Vivemos por momentos onde a expansão das áreas cultivadas e a exploração agrícola desorganizada é cada vez mais intensa, sendo notado ao longo dos anos um aumento significativo no número dos organismos pragas, deixando os agricultores na dependência muitas vezes do controle químico que resulta em diversas consequências. O controle biológico assume seu valor de importância no programa, principalmente em um momento que se discute sobre produção integrada e sustentabilidade.

 

O monitoramento de pragas no campo é fundamental para a tomada de decisão.

 

Essa prática determina a situação das pragas na cultura, avalia os danos e prejuízos que podem estar ocorrendo e define o momento correto de controle. Assim, o monitoramento constitui-se na base de todo e qualquer programa de manejo integrado, sendo uma prática rotineira realizada durante todo o ciclo da cultura. Sempre que necessário realizar ações de maneira a evitar a seleção de insetos resistentes. 

 

Realizar um plano de medidas voltadas para diminuir o uso desordenado de defensivos químicos na produção agrícola convencional, é um caminho que o PCS vem traçando, e através com o uso de ferramentas podemos ir a busca deste manejo para que possamos promover um equilíbrio entre as plantas e os organismos, e com o monitoramento busca-se avaliar o nível de população, tanto da praga ou doença como dos inimigos naturais, através de medidas da população almejando-se evitar ao máximo o uso destes produtos de forma indiscriminada no sistema de produção.

 

E o PCS conta com estas ferramentas para que a partir disso o produtor consiga verificar o momento certo de executar ação de correção.

 

 

Em 2016 foram registrados 277 novos produtos fitossanitários no Brasil, alcançando um recorde. Destes, 38 foram biológicos, representando aumento de 65% em relação a 2015. Perto de se completar 1 ano, esse aumento reflete diretamente no PCS, uma vez que são produtos mais específicos e mais efetivos, além das melhores características de saúde e meio ambiente.

 

O PCS conta até o momento com um volume de produção de 344.479 mil pimentões, mantendo o foco da iniciativa para intensificar o apoio e a transferência de conhecimento a cadeia produtiva e entregar uma colheita segura aos consumidores finais.

 

 

Para facilitar a transmissão e assimilação do conhecimento é necessário fortalecer os requisitos obrigatórios do projeto, estabelecendo uma relação de confiabilidade mútua e corresponsabilidade. Os encontros rotineiros, dias de campo e palestras aparecem com o objetivo de discutir o andamento do projeto com apresentações de resultados, compartilhamento das dificuldades da produção, plano de ação de melhorias, palestras técnicas de empresas parceiras, promovendo uma maior integração e fortalecimento dos produtores envolvidos.

 

A garantia de alimentos em quantidade e qualidade adequados para uma população em plena expansão é o grande desafio do PCS e de todos os especialistas do mundo. Entretanto após todo o acompanhamento da produção de todos os envolvidos, fundamentado nos pilares que o programa demanda, temos como missão a execução das auditorias técnicas com organismos certificadores a nível campo, onde o trabalho é feito na produção para verificar o seu grau de organização e estabelecimento de boas práticas agrícolas, levando à compreensão dos pontos em inconformidade com os requisitos da norma para ser certificado.

 

Inicialmente os produtores envolvidos no PCS recebe uma orientação para uma aproximação através do programa de certificação LOCAL G.A.P, que ajuda o produtor a se preparar posteriormente para GLOBAL G.A.P, definindo todos os requisitos que a produção deve cumprir para obter a certificação. O certificado representa uma garantia de que o produto, processo ou serviço do produtor é diferenciado dos demais. A certificação é um instrumento, apresentado sob a forma de um selo na embalagem do produto, que garante que os produtos foram produzidos de acordo com as normas das boas praticas agrícolas.

 

‘’Os repasses técnicos das boas práticas agrícolas no campo afeta diretamente a vida do consumidor final mais do que às vezes podemos perceber. Elas influenciam na qualidade das frutas, legumes e verduras que iremos encontrar, desde as vendinhas de bairro até as gondolas dos grandes supermercados no país, contribuindo para uma agricultura mais sustentável’’

 

NA MÍDIA:

 

Caminhos para uma agricultura mais sustentável e segura

Publicado em 24/04/2017 - 19:17

 

No último sábado (22), foi realizado o dia de campo do programa colheita segura, da fazenda São João, no município de Tapiraí, interior do estado de São Paulo. O evento promoveu palestras sobre os caminhos para uma agricultura cada vez mais sustentável e segura.

 

 

A redução e o uso consciente de defensivos no campo foi um dos assuntos discutidos entre especialistas, produtores rurais e convidados que participaram do evento. O programa colheita segura mostrou que é possível usar produtos biológicos e alternativos, contra pragas e doenças, e reduzir de 40 a 50% a utilização de produtos químicos nas plantações.

 

A reportagem é de Anderson Sobrinho e Paulo Watanabe. Acompanhe!

 

 

Link: http://tvterraviva.band.uol.com.br/noticia/100000855219/caminhos-para-uma-agricultura-cada-vez-mais-sustentavel-e-segura.html

 

Assunto de Primeira: Projeto Colheita Segura e a produção de pimentões

Publicado em 16/05/2017 às 12h52

 

 

No quadro Assunto de Primeira desta terça-feira (16), o apresentador Otávio Ceschi Júnior conversa com o gestor do programa Colheita Segura, Francisco Pezzato, e com o diretor da PariPassu, Giampaolo Buso, sobre a produção e comercialização de pimentão monitorado. A iniciativa faz parte do Programa Colheita Segura, que começou em maio de 2016, graças a iniciativa do Grupo MNS com apoio tecnológico da PariPassu.

 

Link: https://mais.uol.com.br/view/8tncj14f7l3t/assunto-de-primeira-projeto-colheita-segura-e-a-producao-de-pimentoes-04024C98396EC4916326?types=A&

 

 

Voltar
Ir ao Topo - Grupo MNS

Horário de Atendimento

Avenida: Miguel Petrere, 777 - Campo Grande, Pilar do Sul/SP
Telefones: (15)3278-9000
E-mail: contato@grupomns.com.br

(15)3278-9000

Entre em contato

Cadastre-se

Todos os direitos reservados

MNS